terça-feira, 17 de junho de 2008

Fashion Rio2

Bom, a outra metade desse blog escreve como um novato no evento. E como além de coisa fina, somos pura bossa, nos comportamos como veteranos.

Logo na entrada uma surpresa! Qualquer um pode chegar e entrar aqui?!?!? Sério, demos uns números aí de CNPJ mas que poderia ser o número do último ganhador da Megasena que não ia fazer a menor diferença. Crente que ela ia ter o nome da empresa (Etc.) cadastrado assim que déssemos o CNPJ, mas neca. Já estava preparado para dizer minha função na empresa (eu seria olheiro – viaja, viaja e conta tudo que rola por aí) e exatamente o porque estava querendo entrar no Fashion Business. Pfffff....”Qual o nome da empresa, por favor?” E outra pergunta. Qualquer um entra na Marina da Glória?! Não tem um convitinho? Sei lá, achei estranho.

Mais estranho ainda é lá dentro. Decepção é a palavra. Escuro, chão molhado (nem choveu, parecia mijo), sem sinalização indicando onde era o que. Nada de luxo e riqueza que eu esperava num evento que por definição vende luxo e riqueza. Mas, veteranos que éramos (para todos ali, pelo menos) nem um pingo de indignação ou que estivéssemos perdidos. Até porque Claris realmente sabia para onde ir. E então fomos direto para a sala de imprensa. Alguns famosos classe c depois, uma espiadinha na área de desfiles e pronto. Vamos ao que interessa.

Convite na mão, stand da Oi. Toda aquela frustração de fila já descrita abaixo e tal. Lá, muita comida boa (japa, inclusive) bebida aos montes porém, um salgado em particular chamou atenção!

Agora reproduzo diálogo entre eu e Claris sobre o dito cujo e seu amigo enganador:

Clarissa: o primeiro que comi parecia papel
André: teve um que comi meio nojento, cru em cima
Clarissa: mas o meu primeiro que comi tipo, mto feliz pensando "oba, massinha de crepe"
Nossa, qdo coloquei na boca: duro-murcho, estilo papel
André: hahaha......uma discrepância o salgado. murcho embaixo, duro em cima
Clarissa: uma loucura
Clarissa: um bolo de papel higiênico que foi molhado e secou sabe
e eu comi. isso em cima. embaixo o papel higiênico ainda tava molhado
André: papel higiênico recheado com frango!
Clarissa: que estamos chamando de salgado por não saber a nomenclatura correta
André: isso...o máximo que fizemos foi não chamar de salgadinho, apenas salgado
Clarissa: é! pq salgadinho é que não era
André: e o doce de leite no palito que parecia duro q nem uma pedra q nem nos arriscamos?
Clarissa: enorme
Clarissa: cara, sabe q q parecia?
uma micro banana caramelada, mas tenho certeza que era ilusão. por isso não me arrisquei
André: pura ilusão....estamos ficando craques em salgados enganadores

5 comentários:

Faber disse...

ahahahahhaah
me fez lembrar aquela história do bêbado que pediu um quibe no buteco e quando o manoel foi pegar as moscas voaram, deixando o ovo cozido exposto.

clarismello disse...

que nojinho, faber!


andrelima, a cada dia penso mais que nossas conversas no gtalk poderiam render um bom livro. mas enquanto isso não vem, me contento com o bom papo mesmo.

clarismello disse...

andrelima, vê se vc concorda comigo: o faber só não é o nosso melhor comentarista, porque ele é o único. imagino que leitor tb! o que me conforta é a certeza de que a humanidade vai se arrepender depois da nossa morte.

humanidade disse...

CLARISMELLO VOCE SOTA FALANU ISO POR QUE VOCE TME INVEJAAAA S UA INVEEJA FAIZ A MINHAA FAMA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Rodrigo disse...

Único comentarista sim, único leitor não.

; )